23 julho 2011

Versos Erguidos

sempre distante de teu sucesso tedioso
sentenciei-me acabando por entre meus sonhos
e quanto mais fundo me acabo
ergo-me cada vez melhor acabado

sempre longínquo de teu marasmo sensato
acabei-me flechado por trágico orgulho
e quanto mais me dispo de orgulho
ergo-me cada vez mais exaltado

sempre em desprezo de teu saudável sorriso
orgulhei-me de insano em dramática doença
e quanto mais em violência adoeço
ergo-me cada vez mais inflamado

sempre em desgraça de teu vazio perfeito
adoeci-me em tormentas de arcanjos rebeldes
e quanto mais sem consolo rebelo-me
ergo-me cada vez mais rebelado

sempre em fracasso de teu destino traçado
rebelei-me sendo Rei sempre ao descer
e quanto mais aos abismos me desço
ergo-me cada vez mais elevado

4 comentários:

_lua_ disse...

Olá querido Blogueiro.
Grata com sua visita e suas palavras em meu refúgio.
O post sobre Masoquismo é apenas para compartilhar informações sobre tal assunto, mas nada daquilo me apetece.

Seja sempre muito bem vindo em minha morada.

Suas palavras aqui são de ler e reler, nos fazendo sorrir ou analisar tudo e todos a nossa volta, assim como dentro de nós.

Bjs da lua e um ótimo fds.

Lara Amaral disse...

Ótima disposição de palavras, muito expressivo o seu poema!

Folhetim Cultural disse...

Olá sou Magno Oliveira responsável pelo Blog Folhetim Cultural, convido lhe hoje a conhecer o nosso blog, que tem além de notícias, tem também atrações culturais. Como poesia, contos, crônicas e muito mais...
Conto com sua visita no nosso espaço.

Blog: informativofolhetimcultural.blogpost.com
E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
Twitter: @folhetimcultura e @oliveirasmagno

Meme Vergara disse...

siempre tan proundo, siempre tan bello.

besos.