27 julho 2011

Eu Sou o Mal

quando os teus olhos olham
sou eu que olho nos teus olhos
não por fora mas de dentro
mesmo que vejas
pensando que eu sou tu...

quando sentes não me sabes
mas sou eu ali em teu desconhecer
sentindo o meu como se fosse teu
pois se soubesses de mim
esse mim não seria eu

mas sou eu que invento tua mentira
que não sabes que mentes
a de que eu nunca amo
apenas me apego
e minto que o apego
com que sofres
é amor
na verdade nunca digo a verdade
a não ser (eu sou o não-ser)
que ela me interesse
e o meu interesse é no que é meu...

sou a máscara invisível
a face que é a tua
mas que não vês e nem ninguém
e que talvez só vejam a ela
eu sou a tua tela...

quando pensas sempre pensas em mim
sem pensar
porque sou eu que penso por ti
mas digo que és tu
para que desejes o que eu desejo
sou o que passa pela tua cabeça
quando  pensas que tens o controle
e movo tua mão
como marionete...

conheces-me tão bem
quanto a ti mesmo
mas eu te conheço melhor
e gosto de não ser aceito
porque me faço aceitar
em meu não-ser negro
sem ser percebido:
estou em tudo que é teu...
eu sou o Eu

6 comentários:

Matheus de Oliveira disse...

Poema muito profundo e expressivo,impiedoso também. De se fazer refletir.

MIRZE disse...

REIFFER!

O MAL deve ser isto mesmo. Engana as pessoas e se passa boe bem.

Muito bem escrito, mas apavorante.

Beijos

Mirze

CARLA STOPA disse...

Máscaras invisíveis que refletem o outro, mesmo que não se veja...Ou não se seja... Mais nada.

Davi Machado disse...

EGO SUM!

um belíssimo poema para esta quita estranha aqui no rio.

Sandra Botelho disse...

Nunca admitimos o mal que ha em cada um de nós. Apenas o vemos e apontamos no outro.belissimo poema.Bjos achocolatados

Anônimo disse...

o mal esta em cada um de nos mesmo que nao o admitimos ou o percebemos.
um poema incrivel que reflete como um espelho as muitas faces de um ser humano...
caty,baxinha...