20 julho 2011

Aviso

um fóton da luz
é o que me fala-te
um fluido da lua
é o que te diz-me
lá por onde
(em que meu soprar se esconde)
meu verbo versa pelo vento
é que em ser me sou
lá onde rumam-te rumores
é onde em ver sou sol
há na minha sina um sino
(desígnio em destino)
que se (h)ouve além
de onde ele não está
que no que digo sempre venta
(atenta ao que te (a)tenta)
há um sussurro de livre escuro
e minha cura onde febre murmura
que onde não estou em meus olhares
meus versos vos olham todos lugares...

5 comentários:

Davi Machado disse...

"(atenta ao que te (a)tenta)"
cara, ótimo isso, bom poema.

e grande abraço.

Meme Vergara disse...

Bonito como siempre.

Besos.

CARLA STOPA disse...

Olhares meus em sina de olhares teus...Quando olhares os versos meus confusos de serem seus...

Sandra Botelho disse...

há um sussurro de livre escuro
e minha cura onde febre murmura
que onde não estou em meus olhares
meus versos vos olham todos lugares...
Lindo demais...Bjos achocolatados

MIRZE disse...

EXCELENTE!

Aviso! Vou ficar co, mania de perseguição depois desse poema! Risos!

Construção maravilhosa!

Beijos

Mirze