20 maio 2011

Um Momento do Vento

se fosse um quando antes ao depois
talvez agora eu estivesse
mas sempre é tarde
quando se chega cedo
quando se pensa na oportunidade
o que é possível já passou
se te lacei um raio de sol
é porque ao laço já me raia a lua

porém
talvez quando
o tudo já for passado
venha o retorno da hora da volta

quando não se deseja e não se espera
a observação é silêncio por si
(observe apenas)
e é como a serpente
que se envolve em seu vago
e atenta-se quando o atento se distensa

o vento velado sempre passa
e há que se laçar seu passe
naquele instante que é
e não podia de-ser:
o que há-de, sempre haverá
quando ao que de si se sai
não houver saída
será o meu desígnio
o de beijar-te a (à) vida

7 comentários:

Laura Brandão disse...

As vezes precisamos pensar em nossas palavras, parar e observar cada detalhe, cada sentindo antes de finalmente falar.

Meme Vergara disse...

Precioso.
Besos.

Ligéia disse...

Um belo vendaval, poético.

luizsimbolista disse...

Muito bom.

Lara Amaral disse...

Vc escreve a vida como é: ríspida, o fim sempre ao lado, mas poética.

Bom ler poetas com quem muito nos identificamos!

Fábio Mariz disse...

Oie Sou Fábio Mariz do BLOG (Mariz.Moda) Moda masc. , ameii seu bloguito e já estou seguindo!
Visite o nosso e seja tasmbém um seguidor.

ABRAÇOS *~

(http://marizmoda.blogspot.com)
nossos twitter: @FabioMarizReal & @MarizModa

Agnes Mirra disse...

Um momento de prazer...