11 maio 2011

Não Melodio por Mim...

a-final melodia que mais criei
é mais triste que tudo que crio
que é a melodia que não me sei
que melodias não rio
mas melodias sinais
é tudo que faço
e traço

fracasso
que só crio tudo que é tarde
um som não-visto de alarme
e ex-curo
mas traço o final mais puro
o estrago
a melodia que for mais triste
em tudo que não me existe
e o final que for mais duro
e trago

o vinho que for mais largo
cansaço
de amarguro
e sangue
na desgraça do braço
que me lance
in pulso

foi com ele
que (al)cansei o laço
errado
onde ando arrastando
o rastro
ondeando em vão
para lassar teu astro
na  minha passada desastre
em passados abraços
de finais e múltiplos
os últimos
com-passos...

4 comentários:

MIRZE disse...

Bárbaro, Reiffer!

Adoro esses poemas tristes, acho que porque sou triste....defeito de nascença.


Beijos, poeta!

Mirze

Meme Vergara disse...

toda una melodia tus poemas. Hermoso. Besos.

Ligéia disse...

Com passos tristes e melódicos...

Sonia disse...

Hum...que triste...vem dançar! rs...