11 abril 2011

Noturno

ali onde olhos
ao canto da noite
há um  outro canto de atrás
de um outro olho de noite
de um outro sinto inaceito
outro invisível de paz...

acimou-se a sensação
do que não é
como névoa que está sem ser
no gosto que não cheiro do café
para onde dirijo minha vista
visto todo onde que se esconde
há algo ali que nunca se alga
à superfície do oceano
onde me estranho
que ainda que não haja age alma
ali se alta um desígnio em denso
todo mistério saudade propenso
pelo além do que me acalma...

que o meu lugar é ali
no que não está
nem no cá nem que vi...

11 comentários:

Agnes Mirra disse...

Muito bonito...E tem ares confessionais!

Camila Monteiro disse...

É vou tr que concordar com a Agnes... tem ares confessionais!!!

Lindo viu, adorei!

Carlos A. Barbosa disse...

BOM DIA, OBRIGADO PELO COMENTÁRIO, AMIGOS FAZEM AMIGOS,
AGONIA E SOFRIMENTO DA NATUREZA - VEJA O VIDEO: http://www.youtube.com/watch?v=DYnQVIWq1UQ

R.B.Côvo disse...

Muito bom! Abraço.

Metáfora do Tempo disse...

Poema cheio de sensações estranhas, densas, gostei muito!

Raíz disse...

Bárbaro, Reiffer!

Um dos mais belos que já li aqui!

Beijos

Mirze

CARLA STOPA disse...

Sempre experimento o diferente aqui...Fascinante.

Katia Cristina disse...

Amigo
Ando meio doente, mas estou sentindo sua falta.
bjs

angela disse...

A gente sempre a procura, sempre essa inquietação, sem lugar de descanso.
beijo

Carla Diacov disse...

aqui!
bem aqui onde teus olhos!


beijos nos olhos!

Meme Vergara disse...

Muy bonito.Mi lugar esta aqui. Saludos.