23 março 2011

A Fúria já era Fúria

sempre há algo que se prepara...

o lobo pode
de repente
abrir a ameaça da boca
e trazer à tona
a impiedade do dente

a fúria já era fúria
antes de enfurecer-se
é cansaço que se levanta
do invisível do seu latente

há um ponto de esgotamento
que se ergue como surpresa
diante da arrogância
da fragilidade da presa

há um vingança que se futura
pela quietude da noite escura...

às vezes
é no cair tranquilo
de uma tarde clara
que a tempestade se prepara...

11 comentários:

Vampira Dea disse...

Apesar de rolar a fofoca por aí que lobo e vampiros não se dão , lobos me fascinam e vc menino com suas palavras precisas que ferem e as vezes seguram como caninos. Gostei desse em especial.

Emoções disse...

Para ser poeta basta ser sincero, escrever o que sente, amar o que realmente deseja, e esquecer a beleza superficial das palavras que formam a poesia, pois se verdadeiro é o seu sentimento, puro será seu coração...e lindas serão suas palavras!

Ligéia Alone disse...

Tenho amor pelos lobos.
Lindo poema!

Davi disse...

Belíssima a imagem do desfecho deste poema!

Guilherme Canedo disse...

Bela poesia, palavras sinceras criam poemas assim... Também gostei do desfecho!

abraços

Denise Portes disse...

Reiffer,
Esse poema é encantador. É sempre assim quando venho aqui...
Um beijo
Denise

Pedro Moreno disse...

Ficou muito bom. Gostei do que li. Apesar de não comentar acompanho teu trabalho.

Raíz disse...

REIFFER!

Nas entrelinhas li muito do que diz o poema.

Estamos vivendo isso. "A fúria não sossega enquanto não ataca a presa".

Hoje lendo na parte da Ciência os milhões de golfinhos assassinados, o mar já contaminado pela radiação nuclear, pensei exatamente num lobo. E Há quanto tempo a natureza esperou ser salva.

Belíssimo post!

Beijos

Mirze

Raíz disse...

REIFFER!

Nas entrelinhas li muito do que diz o poema.

Estamos vivendo isso. "A fúria não sossega enquanto não ataca a presa".

Hoje lendo na parte da Ciência os milhões de golfinhos assassinados, o mar já contaminado pela radiação nuclear, pensei exatamente num lobo. E Há quanto tempo a natureza esperou ser salva.

Belíssimo post!

Beijos

Mirze

Katia Cristina disse...

Reiffer

Vc é de uma sinceridade que choca e chega a ferir quem não está preparado para seus poemas!
Gostaria de te ver publicado em centenas e milhares de livros e não uma "Surfistinha" idiota.
bjs

Marcio Nicolau disse...

tua poesia é significante.