23 fevereiro 2011

"Eu acredito ter visto o próprio Deus..." Händel

Georg Friedrich Händel (ou Haendel), ou ainda Handel, em sua versão inglesa, nasceu em Halle, Alemanha, em 23 de fevereiro de 1685. Hoje, portanto, o mundo comemora os 326 anos deste que é um dos maiores gênios da música de todos os tempos. Juntamente com Johann Sebastian Bach, Händel é um dos maiores nomes da música barroca, cuja influência foi decisiva para os compositores dos períodos posteriores, principalmente para o Classicismo e para o Romantismo.

Apesar de ter nascido na Alemanha, em 1713, com 28 anos, Händel muda-se para a Inglaterra, onde viveu o resto de sua vida, adotando, inclusive, a nacionalidade inglesa, em 1726. E foi na Inglaterra que desenvolveu a plenitude de seu gênio, criando obras imortais que ainda hoje nos emocionam profundamente. Mesmo não tendo sangue inglês, pelo fato de ter se naturalizado como tal é considerado o maior compositor inglês de todos os tempos. Foi considerado o compositor oficial da corte inglesa.

Sua fama, na Inglaterra, cresceu a níveis estratosféricos, fazendo jus à sua vasta genialidade, à sua inteligência penetrante e à integridade de sua vida.  O que não impediu que Händel enfrentasse uma série de problemas, como endividamentos frequentes, fracassos de algumas obras importantes, a oposição de inimigos e alguns sérios problemas de saúde, como a cegueira, que o vitimou em seus últimos anos. 

Se Bach foi o maior compositor abstracionista do Barroco, Händel pode ser considerado como o mais teatral do período. O seu domínio da teatralidade na música era espantoso, tanto que foi um dos maiores compositores de óperas da época. Marcada pelo perfeccionismo, pela intensa beleza estética e pela ousadia emocional, sua obra  é vastíssima. Händel legou-nos uma imensidade de óperas e oratórios, odes, cantatas, concertos grossos, concertos para instrumentos solos, sonatas, as famosas "Música Aquática" e "Música para os Reais Fogos de Artifício", suítes, árias etc. No entanto, foi nos oratórios que sua genialidade atingiu um nível nunca igualado. 

É possível que algum leitor não tenha um conhecimento sobre Händel, no entanto, todos já ouviram alguma vez o seu assombroso "Aleluia", música famosíssima, incluída em seu supremo oratório O Messias. Trata-se do maior oratório da história, obra fundamental dentro da música erudita, capaz de emocionar até mesmo os céticos com relação a Deus ( e eu tenho provas disso). Se Händel tivesse composto somente essa obra, já poderia ser considerado um gênio. Logo após finalizar a composição de O Messias, o compositor escreveu: "Eu acredito ter visto o Céu diante de mim e o próprio Deus sentado em seu trono, na companhia dos Anjos". 

Esgotado, doente e na solidão, apesar de toda sua fama, Händel faleceu em 1759, aos 74 anos de idade. Beethoven afirmou sobre o compositor de O Messias: "Händel é o maior compositor que já viveu. Eu cairia com a cabeça e os joelhos em seu túmulo." E Haydn disse o seguinte: "Ele é o mestre de todos nós.".

Para finalizar, deixo abaixo um pequeno poema em homenagem a Händel, certamente indigno de toda sua grandeza:

O Teu Nome

Haendel
Händel
Handel
não importa...
o que importa
é que o teu nome
deveria ser também
uma palavra oxítona
para que rimasse
com a imensidão
do Céu...


(Lembro que em alemão céu escreve-se Himmel, palavra paroxítona, como Händel. Rimam, portanto.)

5 comentários:

Neuzza Pinhero disse...

23/02

ora, não é à toa que a música de Haendel se assemelha ao Oceano, ilimitado e universal. Foi Blake quem disse: "Quem pode prender o infinito?"
Rompe com o apego sem perder a bondade, a compaixão. Um signo de cura, ligado a Dioniso, o deus das mutações, que aparecia sob muitas formas , onde quer que fosse chamado pelos devotos. Haendel, maravilhoso. Que sua Música sobreviva em nós. Parabéns!

Daniel disse...

Hey grandioso amigo, adorei seu blog
e já estou a te seguir,
com toda certeza seu poema é digno do ilustre músico, visto que todas as formas de artes, são dignas uma das outras, não importanto assim, o patamar e as diferenças. Adorei seu texto e com toda certeza, o ilustre musico também, com toda certeza.
Abraços
Dan

Mirze Souza disse...

Seguramente, Reiffer, HÄNDEL deve ter visto o próprio Deus emquanto criava a obra "O MESSIAS".

Impossível não se emocionar.

Seu poema deve estar sendo visto por ele com a serenidade dos grandes.

Parabéns!

Beijos

Mirze

Ingrid disse...

merecedor de certeza..
beijos

Gisa disse...

Um ponto de luz e melodia da nossa História da Humanidade.
Linda lembrança e homenagem
Um bj querido amigo