01 novembro 2010

Cuidado! Poeta à Vista!

é grande o perigo em ser poeta
(ah quem dera
fosse só perigo...)
há que se andar sobre o fio da navalha
(ah quem dera
fosse um sol comigo...)
a que me destino
e a voz rouca do infortúnio mudo
há que virar um hino...
para chegar aonde me esperam
de minhas esperanças
tornei-me o assassino
perdi-me
encontrando para outros
tornei-me príncipe escravo
dos versos livres
em que me imagino...

lá nos confins do que se perde
em busca do que não estava
“vim, vi e venci”
e o deixei
sobre o macio granizo
da tua mão...
e parto com os dedos em sangue
sem nem sequer pedir um não
de gratidão...

11 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Bravo!
Bravíssimo, meu querido!
Simplesmente maravilhoso o seu poema.
Para ler, reler e ler de novo. Ler sempre.
Imenso abraço!

★★ GIZA ★★ disse...

ola
adorei seu blog e estou te seguindo
me faça uma visita e me siga tambèm
grande abraço

Luna disse...

Como vai A. Reiffer?
Gostei desta frase:
''é grande o perigo em ser poeta
(ah quem dera
fosse só perigo...)''

rs..E bota perigo nisso..rsrs..
pois palavras tem poder, tem força
e alcançam longe e além de tudo,
não tem ''rédeas''..=)
depois que saem e ganham o mundo,
não tem mais como voltar e
nem como parar!!

Um bju grande no seu ♥

Fernández ♠♠ disse...

Eu que o diga o que é ser poeta!

Adorei o poema. me vi nele!

Aмbзr Ѽ disse...

a riqueza de tuas palavras definem bem essa sina. contar a vida e o fim em versos.

http://terza-rima.blogspot.com/

Katia Cristina disse...

Sem dúvida nenhuma mais um lindo poema!

Marinha disse...

Uau!
Quase deixaste essa construtora de palavras sem palavras. Parabéns, poeta!
www.construtoradepalavras.com.br

Sonhadora disse...

Poeta

Sempre no fio da navalha...sempre na beira do abismo...sempre querendo mais da vida.
Vivendo á beira da loucura...apenas ser poeta.

Beijinhos
Sonhadora

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Terei cuidado, porque você é realmente um grande poeta! Palavras certeiras no momento, tempo e tom!

Bravíssimo!

Abraços

Mirze

Lara Amaral disse...

Perfeito, poeta! A gente se encaixa, se vê e reflete em cada verso seu.

Abraço!

Daniela Delias disse...

Que belo poema! Compartilho contigo esse sentimento de andar sobre o fio da navalha...

"Farpas
e flores
ao pé
do ouvido

no verso
a navalha
na carne
o suspiro"

Um beijão!