16 outubro 2010

da Rebeldia

rebeldes com causa
rebeldes sem causa
ou rebeldes com cauda
de rato?

rebeldes com calda
de leite
de saco...

rebeldes com causa?
rebeldes com calça
bem frouxa
bem frouxos
engolindo os reais
(que dizem ser o real)
dos outros...
rebeldes arcados
alcaides
com o peso do desprezo
do preço...

rebeldes sem calça
com o saco
coçando
e com o saco dos outros
puxando

10 comentários:

Angélica Lins disse...

[risos]
Achei bem interessante!

=)

Zélia Guardiano disse...

Simplesmente espetacular, meu querido!
Bravo!
Abraço

Mai disse...

Bela crítica!

abraços

Sonhadora disse...

Meu querido
O poeta não escreve somente amor...também escreve a revolta.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Richard Mathenhauer disse...

Acho que é bem a poesia que muitos de nós gostaríamos de estar escrevendo e declamando pelas esquinas e avenidas...

Abraços,

Anônimo disse...

sagaz!

Mirze Souza disse...

Sensacional!

Rebeldia é comigo, mas só para desmascarar os pomposos.

Abração, poeta!

Mirze

Nadine Granad disse...

*aplausos*

Delícia de brincar: palavras, sons, sentidos!!!!

Abraços carinhosos =)

Davi disse...

ácido!
um bom poema para ler num dia como este!

Agnes Mirra disse...

Pitoresco...