04 setembro 2010

Concordas?

de nada adiantam
os teus coros a quatro vozes
levados pelo vento
já tantas vezes...
ou os teus acordes
com cordas
no pescoço
ou as notas do teu piano
que o Tempo
nem mais nota...
o que surge errado não encontra acerto:
não adianta, Humanidade,
tu não tens concerto.

12 comentários:

Vampira Dea disse...

O que começa errado...

Laysha Vampira disse...

Texto que nos leva à meditar sobre o tema... verdadeiro em cada palavra.

Gosto de como escreves... adorável maneira de mostrar nossas realidades.

Beijos sangrentos da vampira Laysha.

Cris de Souza disse...

A humanidade periga, desde os primórdios.

Beijo, poeta!

Robson Schneider disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Schneider disse...

pensar que mesmo a dissonancia apesar de soar estranho, faz parte do concerto né? A maoria de nós evita as dissonâncias porque acha que é desafinação, soa estranho e feio...E pensar que a vida sem elas as, dissonâncias, vira maniqueismo puro.
Abraço Alessandro

Matheus de Oliveira disse...

O duplo sentido que consegues dar às palavras é impressionante! Sutilíssimo! Abraços!

Agnes Mirra disse...

Ficou metaforicamente sonoro!Sonoro e com um aviso escuro no fundo... Adorei!

Andy Brandy disse...

Simplesmente sublime. A dança de temas que se entrelaçam e se tornam um só é realmente muito admirável. Parabéns.

Michelle Buss disse...

Gostei! Parabéns!

Daniela Delias disse...

Passei aqui para agradecer a gentileza da tua visita, e fiquei encantada com o teu espaço! Que legal te encontrar! Grande beijo!

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta
Magistral forma de lançar um grito de alerta.
Adorei como sempre.

Beijinhos
Sonhadora

Mirze Souza disse...

Reiffer!

Como fazer? A humanidade deve então aprimorar-se dentro de nós, já que como um todo, ela é insana como um bloco de pedra.

MuitoBOM!

Abraços

Mirze