06 agosto 2010

Concerto nº2 para Piano e Orquestra de Brahms, o Melhor

Sim, eu sei, Mozart é o rei dos concertos para piano, ninguém conseguiu compor tantos concertos com tanta perfeição. O conjunto de seus concertos forma uma das criações mais sublimes da música. Particularmente, aprecio sobremaneira os de nº 24 e 20. Sim, e eu sei também que os concertos 3, 4 e 5 de Beethoven constituem um dos pontos mais altos da literatura de concertos para piano. Então, é muito difícil escolher o melhor, talvez impossível determiná-lo.

Mas eu sou um brahminiano. E para mim, o mellhor é o 2º de Brahms. O melhor de todos já compostos. Sem dúvida, está no mesmo nível dos melhores de Mozart e de Beethoven. Mas há algo nele que me fascina de forma absolutamente arrebatadora, inefável. Primeiramente, o concerto nº2 de Brahms é mais que um concerto, é algo como uma sinfonia com piano. A força sinfônica dessa peça é avassaladora. É também um dos mais longos concertos em duração, mais de 50min.

Nessa obra, Brahms vai de um extremo a outro com a maior naturalidade e sem jamais deixar de lado a perfeição formal. Passamos da mais estrondosa, violenta e terrível tragédia, até sublimes melodias de intensa paixão e ternura. Brahms é apaixonado sem jamais ser "meloso". É firme, sério, concentrado. Brahms é sempre forte. Pode ser profundamente triste, melancólico, até resignado. Mas é duro na queda, jamais se entrega. Tudo isso está neste concerto magistral, do começo ao fim.

Dificíl dizer qual o movimento que prefiro. Mas acho que é o 2º. Começa com o piano em uma melodia de fazer ferver o sangue, triste, trágica, desesperada talvez, mas imponente e orgulhosa ao mesmo tempo, afirmativa, de imensa força. Quando bem executados tais acordes, o piano soa como um poderoso martelo. E o final desse movimento então? Ah, o final, quando essa lancinante melodia inicial toma conta da orquestra, bem aí, Brahms solta um grito de dor e de fúria que fica repercutindo em nossa alma por muito tempo.

Bom, poderia falar mais, mas vou parar por aqui. Eu não costumo postar músicas aqui no blog, não faz parte do direcionamento que dei a ele. Mas vou recomendar um blog para downloads. O P.Q.P. Bach: http://pqpbach.opensadorselvagem.org/ . Lá, encontrarão essa magnífica obra de Brahms, e muitas outras.

5 comentários:

Cris de Souza disse...

Aprecio música clássica, dá margem a várias viagens...

Vou tentar baixar este concerto, fiquei extremamente curiosa, após sua explanação.

Beijos, meu caro!

Mirze Souza disse...

Fantástica sua firmeza e visão!

Aprendo mais sempre que venho aqui.

Um abraço!

Mirze

Aмbзr Ѽ disse...

a música erudita é algo atemporal.

Mozart e Vivaldi aqui em casa sempre, graças à minha alma gêmea, apreciador desse estilo.

abraços, e até o próximo post.

http://terza-rima.blogspot.com/

Alberto Ritter Tusi disse...

Ótimo!

Eu, já, me encontro muito mais no universo do primeiro concerto. Mas, sinto este segundo como um par perfeito e igualmente avassalador.

Tá muito bom de ler tua escrita sobre música, muito sensível... Já é por si só muito boa de se ler, mesmo sem ouvir a música em questão, hehe.

Abraço!

Agnes Mirra disse...

Cresci ouvindo muitas clássicas,e estudando música agora me aguça mais o desejo! Essas divinas criaturas inundam o mundo com suas majestosas composições.Difícil dizer quem é o melhor, eu não consigo!rs!Apenas aprecio e me inebrio...

Mas o Blog eu consigo dizer: esse é o melhor! Horror, amor,sangue, escuridão, luz, música,arte, Reiffer...Parabéns por mais uma composição!