23 julho 2010

Um Enigma (Trágico)

quando a estrela não brilha
o sonho reflete ao contrário:

segredo jamais segregado
tornou-se o fim da glória de César
o que era de César
a César nunca foi dado

um adeus ao vermelho de sangue
da capa derramada no peito

se colocares ao espelho o que digo
verás que o que é dito não é o que é escrito
e não há outro jeito

é que a estrela caiu dentro em um lago
quando a colhi para ir mais ao alto

e quando a estrela é sem luz
o sonho reflete invertido...

o legionário caiu do cavalo
e o digo em palavras do fim ao começo
do sonho só o s é bonito...

que não adianta
um corvo é sempre um corvo
e sempre a maldição se assoma:
Nunca Mais um poema de roma.

7 comentários:

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

O trágico sempre é mais bonito...
Parabéns!
bjsss

singularidade ímpar disse...

''do sonho só o s é bonito''
perfeito.
parabens

Lara Amaral disse...

Sempre uma ótima construção poética aqui.

Grande abraço!

Sonhadora disse...

Meu amigo
Sempre profundos os teus poemas, adoro a tua maneira de escreveres.

beijinhos
Sonhadora

Bruna. disse...

Vim parar por aqui pelo blog da Nadine. Estou gostando muito de tudo até agora. Poemas que nos fazem sentir, nos transportam para outros lugares. E se a poesia não pudesse fazê-lo de que serviria o poeta?
Eu também tenho uma cada virtual o http://khatarsisencontros.blogspot.com/, mas não sou nenhuma grande grande grande escritora.
Se quiser passe por lá para me fazer uma visita.
Bom, depois de tudo que vi por aqui não resisti e me tornei sua seguidora.
Um beijo,
Bruna.

Vanessa Monique disse...

Ótima poesia.
Ótimas figuras de linguagem
@vanimonique
:*

Richard Mathenhauer disse...

"o que era de César a César nunca foi dado"

Preciso mais do que um espelho para "ler" você.

Abraços,