14 julho 2010

da Obrigatoriedade

estás na estrada
e terás que fazer a Curva...
mas não sabes quando virá a Curva
nem de onde a estrada veio
nem para onde a estrada irá
mas estás na estrada
e terás que fazer a Curva...

e a estrada em que estás não conheces
ou conheces mas não lembras da estrada
muito menos lembras da Curva
mas depois da Curva
o que virá?

virão planícies ou tempestades
lagoas ou acidentes
florestas ou precipícios...?
ou será que a estrada
acaba
depois da Curva?

sim, porque estás na estrada
e terás que fazer a Curva...
mas cuidado ao fazê-la
ao temê-la
ao dizê-la
ao pensá-la
ao sorri-la
a Curva é sempre perigosa
e não sabes que Curva é aquela...

mas quando fizeres a Curva
(e terás que fazer a Curva)
te curvarás.

14 comentários:

Mirze Souza disse...

Filosófico e belo!

O imprevisível é sempre assustador.
A curva é um semi-círculo. um símbolo da matemática que aliado à velocidade e apreensão. montou esse belo poema.

Como um maestro ao se dirigir aos metais.

Muito bom!


Beijos

Mirze

Leticia Duns disse...

Sempre existe então o medo do fazer a curva, o desconhecido causa esse medo, mas se temos que fazê-la então que venha a curva...

Adorei Alessandro, a combinação das palavras e a sonoridade do poema ! Muito reflexivo, a maestria dos teus poemas me encantam sempre !

Abraço, Le.

Lara Amaral disse...

Por não ver do outro lado da curva, por não saber se é tão sinuosa... Arriscar ou dar ré?

Ótima reflexão, poeta!

Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente!

Lembrei-me de um haikai
recentemente publicado
em minha confeitaria poética:


MÃO ÚNICA

A vida é uma via
aonde se passa sem volta.
A vida é um havia.


Um havia
por detrás da Curva? : )

Beijo,
Doce de Lira

Ribeiro Pedreira disse...

"depois da curva da estrada tem um pé de araçá"

há que se romper os paradigmas das curvas. daí surgiram as grandes descobertas.

catacrese disse...

Lindo!

O futuro é incerto, sorte dos desassossegados.

Léo Santos disse...

Bom... Tri bom! Poema de gente grande! Palavras que falam alto! Parabéns! Tu sabe o que quer!

Um abraço!

Sonhadora disse...

Meu querido
Muito belo e profundo...as curvas da vida...nunca sabemos o que está para além dela, mas temos que a fazer.
Adorei o poema.


Beijinhos
Sonhadora

Endim Mawess disse...

minha cabeça ficou rodando esperando a tal curva.

Danny disse...

Lindo blog..

Muito reflexivo...

Adorei caminhar por seus poemas..

Beijos
Tenha uma ótima semana.

Estarei sempre a acompanhar suas postagens..

Danny disse...

Lindo blog..

Muito reflexivo...

Adorei caminhar por seus poemas..

Beijos
Tenha uma ótima semana.

Estarei sempre a acompanhar suas postagens..

Leca disse...

Agradeço...
principalmente...você...
querido leitor...
por me inspirar...

beijos
Leca

Leca disse...

Agradeço...
principalmente...você...
querido leitor...
por me inspirar...

beijos
Leca

Richard Mathenhauer disse...

Esta inexorável Curva...
As vezes Eu paro, diminuo o passo, mas ela está lá. E Eu terei de me curvar a inexorável Curva.

Gostei muitíssimo, Reiffer!
Com admiração,