01 junho 2010

"Tod den Juden!" (Morte aos Judeus!)

Não, é claro que não sou nazista. Muito menos compactuaria com as atrocidades cometidas pelos nazistas durante a 2ª Guerra Mundial. E muito menos ainda os judeus deveriam compactuar com tais atrocidades, visto que foram as maiores vítimas. Mas é exatamente o que estão fazendo. Para eles, é 'Morte aos Árabes!"

Sim, o povo de Israel, os judeus, depois de todos os horrores que passaram, deveriam dar exemplos de paz e de tolerância ao mundo. No entanto, o que fazem é exatamente o contrário. Praticam aquilo que condenam. Agem como os nazistas. Não bastasse todas as hostilidades, e torturas, e mortes que já causaram ao povo árabe, agora chegaram ao absurdo de atacar um navio pacífico que levava ajuda humanitária a árabes oprimidos por Israel, causando várias mortes, de, até aqui, inocentes. Alegando que eram terroristas. Sem nenhuma prova. Que direito têm eles de o fazerem? Então quer dizer que se passar alguém de bicicleta na frente de minha casa, e eu o matar, poderei defender-me alegando que ele era um possível terrorista?

Com os atos israelenses, os judeus só conseguem uma coisa. Despertar o ódio contra seu povo, como despertaram ao longo de séculos na Europa, através da exploração econômica que alguns judeus donos do dinheiro promoveram. Alguns judeus, não a maioria, que fique bem claro. Agora, quem deve estar bradando "morte aos judeus" não são os alemães, mas os árabes. Isso ainda vai desembocar em outra guerra... Não digo especificamente pelo ato de ontem, mas pela soma de tudo que vem ocorrendo na região. Sim, eu sou um pessimista. 

Violar os direitos humanos não é uma atitude típica dos nazistas? É, mas não só deles, como estamos vendo. Como diria o filósofo Samael Aun Weor, "Os homens não aprendem as lições da vida nem a canhonaços." Os judeus não aprenderam. Aliás, quem é que aprende as lições da vida? Você tem certeza que aprendeu as suas? O que foi que a humanidade aprendeu, afinal?

6 comentários:

Robson Schneider disse...

Penso que Israel é viciado em perseguição... co-dependencia mesmo.
Isso é histórico...

Abraço Alessandro

Robson Schneider disse...

Ps: adoro vir aqui, me sinto num lugar paralelo da blogosfera. Entenda da melhor forma possivel pois é exatamente a forma correta de interpretar.
Meio que um portal no tempo...


Abração, outro!

thiago disse...

E ai Alessandro, blz?

Como já tem gente descendo o cacete em Israel vou expor a minha opinião, que difere da sua em relação aos conflitos em Israel.

Israel não se encontra em posição de negociar paz na Palestina, enquanto a região for dominada pelo Hamas. O Hamas não tem interesse em negociar, pois o seu único objetivo é a destruição do estado de Israel. A paz é contrária à essência da organização. No máximo um cessar fogo para se rearmar contra Israel. E não só eles, vários países e grupos compartilham do mesmo objetivo. Não se negocia paz com organizações que são essencialmente bélicas.

A perseguição aos judeus ainda persiste, e a situação hoje em dia está bem mais crítica. Antigamente a luta pela sobrevivência do povo judaico era contra a Alemanha Nazista, hoje em dia é contra várias nações e grupos islâmicos. O islamismo é uma religião de paz, mas não costuma tolerar diferenças.

Mal havia sido criado, o estado de Israel teve de combater oito países que queriam a sua destruição (Iraque, Síria, Egito, Jordânia, Kwait, Sudão, Argélia e Arábia Saudita). Israel sobreviveu à guerra dos 6 dias.

Anos depois, essas nações lançaram outro ataque, de maneira covarde, dessa vez no feriado do yom kippur (o equivalente a atacar o Brasil no natal, onde metade do contingente militar é dispensado).

Ou seja, a perseguição nunca cessou, Israel, para poder defender o seu direito de existência, teve que tornar-se um país beligerante.

Quando Israel ataca um escola, a imprensa publica rapidamente, cumprindo seu papel. Quinze dias depois, quando o ódio contra Israel já foi insuflado, eles noticiam de forma discreta que na escola encontrava-se uma base de lançamento de misseis do Hamas. Aí é tarde. Mas quem sabe que uma das táticas favoritas do Hamas é usar os civis como escudo humano, já desconfia, não segue o vácuo da mída.

Sobre o recente ataque, foi afundado um navio que carregava ajuda humanitária. Ok. Mas porque eles estavam transportando a ajuda por via marítima? Israel permite ajuda humanitária para a Palestina apenas por TERRA. Normalmente, o que chega nos navios que conseguem furar o bloqueio da marinha de Israel, são armas que serão usadas pelo Hamas contra os civis israilenses. Outro fato é que alguns dos ativistas recusaram-se a identificar-se. Estranho, não?

Bom, essa é a minha opnião, apenas para lançar um contraponto.

Abraços.!

A. Reiffer disse...

E aí Thiago. Valeu pelo comentário, foi muito bem argumentado.
É claro que os judeus nunca foram bem-vindos na região, e eles tem todo o direito de se defender. Mas isso não dá o direito de eles atacarem o que bem entenderem e da forma que quiserem, causando mortes, inclusive. Além do mais, o problema é que Israel quer se estender para regiões que são ocupadas por árabes, como a Faixa de Gaza. Os judeus têm o direito de ter um Estado. E os palestinos? Não?

Tu deste o exemplo das escolas, que Israel ataca e mais tarde são descobertas armas lá. Sim, isso às vezes acontece. Mas ás vezes não acontece. Atacam lugares sem provas concretas,causam mortes de civis inocentes, e querem que tudo fique por isso mesmo? É claro que isso vai despertando o ódio cada vez mais, de ambas as partes, vai criando uma bola de neve...

Mentiras há dos dois lados. Ninguém seria ingênuo em pensar que só um dos lados mente. Todos nós mentimos.

E no caso do navio, eles poderiam inspecionar. Mas nunca matar as pessoas. Parece que já chegaram atirando. E não encontraram nenhuma arma realmente perigosa. Apenas uns ridículos "porretes". Para mim, tal atitude é no mínimo um exagero injustificável.

Abraços!

L.L disse...

Os problemas de Israel com os árabes e o resto do mundo não vem da segunda guerra.
Vem da própria formação do povo judeu.
Eles sofreram horrores nas mãos nazistas, mas se sujam na mesma política que amaldiçoam.
Assim como quase todos nós.

beijos e muito sucesso.

beto disse...

esta em andamento em gaza e na cisjordania, o holocausto palestino,so que com oaval eua;dois pesos eduas medidas.palestine free now.