11 junho 2010

a Poesia é uma Praga

não é o poeta
que decide ser poeta:
a poesia é quem escolhe
quem irá poetizá-la
e uma vez escolhido
impossível deixá-la

não há livro nem estudo nem técnica
não há mestre nem regra nem meta
não há jeito nem choro nem vela:
não se pode formar um poeta

poeta
não é quem procura pela inspiração
poeta é aquele que a inspiração
não o deixa nunca em paz
é aquele que um demônio
sussurra sempre nos ouvidos:
vai, escreve esse poema, faz!

poeta não escreve porque sofre
não escreve porque está triste
escreve porque não tem saída
escreve porque é o que lhe manda
tudo o que vive e tudo o que existe

não é o poeta
que escolhe sua vida
a vida é que vem ao poeta
de acordo
com o que quer que ele escreva
poeta é o que escreve qualquer coisa
do que quer que seja

poeta não segue conselhos:
mas só se vale do que pensa
e só do que sente se alaga
poesia não é dom
é praga

poeta é o que faz do seu jeito
e esse seu jeito
é que é a melhor maneira:
um bom poema
sai de um bom beijo
ou de uma sublime
bebedeira

12 comentários:

Agnes disse...

Estou em extase!!!

Robson Schneider disse...

Isso foi perfeito!concordo, a poesia escolhe o poeta... é como um chamado!

Abraço Alessandro e ótimo final de semana!

Ju Fuzetto disse...

Poeta é aquele que sonha!!!

Perfeito amigo!!!
bjo e bom final de semana!!

karlaPasini disse...

Parabéns, vc é um gd poeta.

Sonhadora disse...

Como sempre sentimentos em poema...e acontece a poesia.

Beijinhos
Sonhadora

Leticia Duns disse...

Poeta não pode ser definido mas se assim fosse, seu poema seria definição perfeita !

Costumo dizer que a poesia sai do poeta por causa das tantas vozes que tal ouve dentro de si.

Adorei poeta !

Beijos
Le.

Lara Amaral disse...

É bem assim mesmo...

Beijo.

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

Realmente poeta,adorei seu blog.Poesia apaixonante!Bjssss

Aline Capistrano disse...

olá!
Gostei do que você escreveu, sigo para ler mais vezes.

Bjs!

Richard Mathenhauer disse...

Hum...
De beijos já garatujei.
Preciso testar meu lado etílico de poetar.

Abraços, Reiffer!

Giovani Pasini disse...

É difícil, neste momento, não bater com a cabeça na parede e agradecer (a Deus?) palavras tão sábias.

Estou, cada vez mais, espantado com a qualidade de tua poesia.

Indefinível.

Simplesmente transcendente!

Mensageiro Obscuro disse...

Lindo poema, espero encontrar um dia um livro contendo todos os seus poemas postados. Eu comprarei.