13 maio 2010

Humanidade... Vai Dormir!

humanidade...
vai dormir!

por que queres continuar acordada
se já chegaste ao final do teu dia
e viste que ele não deu em nada?

por que queres caminhar ainda?
caminhar para onde?
caminhar para quê?
se de exausta caminhas em círculos
e tuas estradas voltam ao mesmo lugar?
a que progresso fatal queres ainda avançar?

humanidade...
vai dormir!
se não encontraste sentido na vida
talvez encontres sentido no sono
talvez sonhando sonhes teus sonhos
talvez fechando os olhares
vejas teus gênios cantando nos céus
e o amor que buscaste bailando nos ares...

talvez dormindo
recuperes tuas forças
e despertes animicamente renovada:
nada melhor que um dia após o outro
e uma nova aurora e um novo raiar...
dorme humanidade
que no estado em que estás
não podes mais continuar...

sou um pessimista?
não, sou alguém cansado
morrendo de sono...
por mais que eu faça
ali está sempre a desgraça
impávida
impassível
impossível
sempre a sorrir...

humanidade
faz como eu:
vai dormir.

14 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

Reiffer, o poema tem força, vitalidade, embora fale de sono. A humanidade já dorme, mesmo acordada..

bj

Gilson disse...

Olha meu amigo hoje você falou tudo, a humanidade devia mesmo ter uma parada para reflexão num sono profundo onde passasse o filme de seus grandes erros e ela parasse de andar em circulos.

Bravo!!!!!!!!!

Mai disse...

Um poema tão imperativo quanto questionador. Bem quisera pudéssemos dormir pare acordarmos animicamente renovados...

Belo!

abraços

Margarida disse...

Amei este poema, está simplesmente... fantástico!

Micheli Pissollatto disse...

Eu amei, que poema magnífico!

ghost disse...

Bravo!

Leca disse...

Parece que a minha avó continua com a razão...
Dormir é o melhor remédio...

Belas e reais as suas palavras...

Beijos gentis...
Leca

*A CHAVE DOS MAGGI* disse...

Imperativo e musical. Dormi humanidade e acorda melhor, renovada.
Muito bom

Matheus de Oliveira disse...

Um poema para entrar em qualquer antologia. Arte em alto nível! Parabéns!

Suelen Braga disse...

Realmente...preciso dormir...

A vida não tem dado em nada..
Nos sonhos pelo menos eu tenho aza
Mas quando acordo sinto-me mutilada
Tento voar e não consigo!

Beijo grande =*

Bahh Grou. disse...

"A que progresso fatal queres ainda avançar?" Disse tudo nesse momento, que a humanidade caminha na prancha, não tem o mar, tem um abismo logo abaixo. Beijos.

Richard Mathenhauer disse...

"Dormir! Dormir! Talvez, sonhar!... pois com o sono, dizem, terminamos o pesar do coração e os mil naturais conflitos que constituem a herança da carne." (Hamlet)

Se pararmos pra pensar, nada faz sentido. Parece mesmo termos alcançado um ponto tal do qual nada se pode esperar - de bom.

"Dorme, meu filho" (C.Drummond)

Com admiração,

Leticia Duns disse...

Que seja sono eterno então...

Mto bom poema !

Abraços, Leticia Duns...

Fanzine Episódio Cultural disse...

VII CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS

Já estão abertas as inscrições para o VII CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS. Mandem seus poemas até 15 de julho de 2010. Valor da inscrição (R$2,00).

Informações: Biblioteca Municipal Gentil Vieira da Silva.

Rua Major Feliciano, 990 - Centro - Machado (MG). Ligue (35) 3295-6099 ou (35)3295-2025 A/C Prof. Adauto.

Peçam o regulamento e tirem suas dúvidas, através do e-mail: academiamachadensedeletras@gmail.com //ou // machadocultural@gmail.com

OBS: O valor de R$2,00 pode ser enviado por carta em nome da Biblioteca Gentil Viana de Souza