28 maio 2010

Faça-me Um Favor...

amigo...
faça-me um favor:
pegue esta rede de pesca
e jogue nas águas deste rio:
é o rio mais turbulento
que conhecerá em toda tua vida...

neste rio não há trechos calmos:
até os fundos poços
se debatem em tempestades
este rio de águas negras
é todo fúria de correntezas
e suas íngremes margens devastadas
impedem qualquer aproximação...

as cachoeiras e quedas deste rio
são violentas como o inferno
e penhascos cortantes como a morte
alastram-se fatais
pelo furacão de suas corredeiras...

mesmo assim jogará a rede?
se jogar
não encontrará neste rio
nem peixes nem répteis nem plantas
não encontrará nada que tenha vida...

mas deixe a rede ali
e tente pescar para mim
a minha esperança...

5 comentários:

Matheus de Oliveira disse...

As tuas poesias são tão terríveis e devastadoras como as águas deste rio... Genial, Reiffer, genial!

Leca disse...

...esse rio está parecendo um tanto sem vida...acho que a esperança que existe em seu leito também está adormecida...
beijos esperançosos
Leca

⋆ Mαthєus Andrαdє disse...

Rio morto com uma pitada de esperança. Gostei do seu blog. se puder passa lá no meu: http://alemdaspalaaavras.blogspot.com/
vou te seguir...
Parabéns (:

Sandra Botelho disse...

Sua esperança está dentro desse rio que se chama você.
Bjos achocolatados

catacrese disse...

Seu poema fez-me relembrar de um que escrevi há anos atrás. Uma parte dele diz:
"Sonhos que sobreviveram as tribulações
E hoje são arrastados pelo fundo do mar
Onde não há luz, onde não há vida
Onde há apenas a solidão e a carcaça perdida"

Acho que sua poesia conseguiu me tocar muito por além de ser bela, mergulhou-me em um sentimento nostálgico que muito bem foi definido por essa porção de água sem vida.