03 maio 2010

Catástrofes, Impotência da Ciência e Prenúncios


40 milhões de litros de óleo derramados no mar no litoral dos EUA. Isso por enquanto, porque calcula-se que o derramamento prosseguirá por meses. Meses!

Pode ser esse o MAIOR DESASTRE AMBIENTAL DA HISTÓRIA DOS EUA. E um dos maiores da história da humanidade.

Já estou vendo os milhões de peixes e outros seres marinhos mortos. A vegetação de uma reserva de vida totalmente aniquilada. As milhares de aves e os milhares de ovos dessas aves mergulhados no óleo. Isso sem falar nos répteis. Sem falar nos anfíbios. Sem falar nos mamíferos. Inclusive o homem. Mas o homem... O homem merece.

O mar doente por anos. Talvez, para sempre. Quantos desastres desse tipo já ocorreram? E quantos ainda ocorrerão? Cada vez piores.

O homem confia cegamente na ciência. Ninguém esperava que houvesse uma explosão. Mas houve. E depois, ninguém esperava que dessa explosão pudesse vazar tanto petróleo. Mas vazou. E agora, o que a ciência fará? Suas tentativas para impedir que o óleo se espalhe são ridículas, para não dizer trágicas.

Mas não adianta. É inútil. É necessário o "progresso", não é mesmo? O "desenvolvimento", essa palavra sinuosa, que sempre enche a boca rançosa dos políticos, sempre falará mais alto. O "desenvolvimento" não pode parar. Quem tem que parar é a Terra. Qual seria o lema da humanidade racional? "Desenvolvimento até a Morte!". Ou seria melhor, "Desenvolvimento e Morte!"? Ou quem sabe, "Morto, mas Desenvolvido." Ou ainda: "Desenvolver é preciso, viver não é preciso." Bem, não importa, o que importa é que temos que nos desenvolver, produzir mais carros, mais armas, mais brinquedos, mais porcarias alimentícias, mais agrotóxicos, mais computadores, mais celulares, enfim... Produzir até a Terra não aguentar mais.

Para encerrar, seria interessante repostar aqui o poema que escrevi dia 16/04/2010, um pouco antes, portanto, da explosão da plataforma de petróleo, que ocorreu dia 20/04. Soa até como um prenúncio. Claro que eu não adivinhei o que aconteceria. É que tais catástrofes já são tão comuns que... que já fazem parte da arte, desgraçadamente.

Poema Sem Graça
adeus
graça
aos gracejos estúpidos
do homem ingrato

a pena que tenho do homem
afunda como o branco da pena da garça
no negro do óleo que escorre
sem graça nenhuma

vai-te em graça
como símbolo gracioso
de tudo aquilo que morre:
a Deus
garça

e o que resta
à humanidade (in)graçada?
a des...
graça.

11 comentários:

Denise Portes disse...

Dói meu peito, minhas entranhas, horrível a impotência, o não poder fazer nada, o olhar passivo pra essa situação.
Denise

Sr. Arcano disse...

O interessante é que, aqui no Brasil, os telejornais noticiaram o fato com menos alarme do que o fato do jogador Adriano, do Flamengo, ter faltado ao treino e sumido por um dia.
Isso aqui não é um país sério. Veja-se por exemplo o presidente Lula decretar luto oficial de 3 dias pela morte do presidente polonês, na mesma semana em que centenas de pessoas morreram na chuva do Rio de Janeiro, por erros e corrupção política em áreas mal administradas. Pessoas esquecidas pelo governo...
E em toda parte, vemos a ganância falar mais alto. O mundo perecendo...

Andre disse...

Concordo.
A midia ainda não percebeu o impacto deste acidente! Preferem falar de Flamengo e Corintias. Uma lástima.

Descobrindo Um Novo Ser Lunático disse...

É alarmante o estado em que chegamos... Ou que sem escolha [alguns de nós] chegamos...

Ninguém toca no assunto, calam-se e a natureza que se "vire" com as terríveis consequências.

Cada dia mais o mundo fica desprovido de inteligência, e ainda acham com toda sua prepotência que são maiores que qualquer bem natural.

Infelizmente, só se aprende quando se perde algo.

É triste mas, a realidade é essa...

Muito bom esse espaço informativo no teu blog !!!

Abraços, Leticia Duns.

... disse...

magnifico!

Joel Vieira disse...

Quando vejo fotos de animais mortalmente afetados pelo petróleo me dói tanto! Eles não tem culpa de nada, aquele petroleo não era para se misturar ao oceano. As consequencias ainda são incalculáveis, até pq ainda não conseguiram parar o vazamento.

Sandra Botelho disse...

E o pior continua vazando...
Sem palavras.
Bjos achocolatados

Eduardo Lara Resende disse...

"Dói meu peito..." A dor da Denise é a dor nossa, que V. tão bem soube acordar. Vou segui-lo.
Agradeço ainda pela visita e comentário a Pretextos-elr. Abraço grande.

A. R. T. disse...

Há ligações que o pensar desconhece firmemente, e parece que são as únicas que dizem o real.
Isso foi terrível como uma guerra, até pior! Porque guerra ainda tras um pouco de mudança humana no término. Agora isto, só o que está faltando é uma mudança das grandes, do próprio planeta terra para a gente.

Excelente Post.
Intuição é a Luz.

Ju Fuzetto disse...

Sem palavras...

Espetácular!!!


beijo amigo

Carolina Mancini disse...

Material de qualidade, otimização do tempo, barateamento dos custos, evolução. Um dia ainda nos convencem a comer petróleo. (e beber petróleo, respirar petróleo e a amar petróleo).

Parabéns pelo blog.