18 abril 2010

Fernando Pessoa e Seus Passos da Cruz XIV (e Último)

Continuo postando os sonetos de Passos da Cruz de Fernando Pessoa, conforme explicado na seguinte postagem: http://artedofim.blogspot.com/2009/12/fernando-pessoa-o-predestinado-passos.html . Este é o passo XIV e, portanto, o último. Na imagem, o quadro " Cristo de São João da Cruz" de Salvador Dalí.

Passos da Cruz - Soneto XIV

Como uma voz de fonte que cessasse
(E uns para os outros nossos vãos olhares
Se admiraram), p'ra além dos meus palmares
De sonho, a voz que do meu tédio nasce

Parou... Apareceu já sem disfarce
De música longínqua, asas nos ares,
O mistério silente como os mares,
Quando morreu o vento e a calma pasce...

A paisagem longínqua só existe
Para haver nela um silêncio em descida
P'ra o mistério, silêncio a que a hora assiste...

E, perto ou longe, grande lago mudo,
O mundo, o informe mundo onde há a vida...
E Deus, a Grande Ogiva ao fim de tudo...

7 comentários:

Vampira Dea disse...

"E Deus a grande ogiva ao fim do mundo".
Bem a frente do seu tempo...

Ana Fenner disse...

Sinto-me lisonjeada com sua visita ao meu blog. Resolvi retribuir a gentileza e com que surpresa descobri teus poemas, voltarei sempre. Um beijo, Ana

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

O que são minha palavras perto das palavras de Pessoa(s)?


Beijos,
Ry.

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

!!!

LIFE Graciela Bacigalupe disse...

bellísimo tu criterio de estètica entre imágen y texto...
Es una de las cosas que que tambien admiro, la elecciòn de las imágenes y música que acompañan su blog y sus letras!Mis respetos y admiración de siempre.Sabe ser un gran artista hasta en la elección de las imágenes.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Que maravilha...Pessoa é imortal.

Beijinhos
Sonhadora

Richard Mathenhauer disse...

Esta é uma das minhas pinturas favoritas do Dali!
Casada com os versos, ficou perfeita!