04 abril 2010

Adeus aos Gorilas (e Outras Notícias Tristes)


Talvez isso pouco importe aos leitores. Talvez não importe quase nada. Tudo bem, talvez não importe coisa nenhuma. Mas vou dar a notícia mesmo assim. Eu, como sou alguém trágico em demasia, dou atenção a tais futilidades.

Bem, os gorilas, aqueles macacos gigantes e que criaram fama nos filmes do Tarzan, estão a um passo do fim definitivo na natureza. É, estão quase extintos. Dentro de menos de 10 anos, dizem os biológos, essa gente chata, não haverá mais nenhum na natureza, só poderão ser vistos em zoológicos.

Os gorilas vivem (por enquanto) nas selvas equatorias da África Central. O que acontece lá? Só horrores e barbaridades. Primeiramente, as guerras civis e limpezas étnicas obrigaram multidões a se refugiarem nas selvas para não serem mortos. E lá, essa gente não tem ajuda nenhuma. Não sei por que os países ricos que tanto gostavam de explorar a África, como a França, a Inglaterra, a Bélgica, a Alemanha, Portugal, não ajudam esse pessoal agora. Que ingratidão... E os EUA, por que não se metem lá também? Eu não entendo.

Pois a gente que foge para a selva, não tem ajuda nenhuma, mas tem fome. Caçam os gorilas. E mesmo que não caçassem, o desmatamento para vender madeira para os ricos está acabando com as reservas dos simpáticos macacos. E mesmo que não houvesse madeireiras, há as companhias de mineração, que querem, é claro, o ouro nosso de cada dia. E já poluíram sabem quantos rios lá na África Central? 250. Isso, poluíram com mercúrio e outros venenos 250 rios. 250 rios... Eu, que sou melodramático, tenho vontade de chorar. Assim, não há gorila que aguente. Nem gorila, nem qualquer outro bicho.

Os governos de lá até que pagam uns pobres guardas esfomeados e heróicos (heróicos mesmo, viu, Pedro Bial, seu imbecil...) pra vigiar as reservas, mas os mineradores e madeireiros já mataram nos últimos anos mais de 150 guardas. Alguém teria coragem de ir pra lá vigiar os gorilas? Eu, que sou muito cínico, confesso: eu não.

De modo, que não há esperanças pra esses bichos, amigos leitores. Os gorilas, assim do jeito que está, logo deixarão de existir. Grande coisa, né? Olhem que talvez seja... Esperem pra ver....

Bem, eu ainda teria mais notícias tristes, por exemplo: sobre os corais da Austrália, sobre os ursos do Ártico, sobre os orangotangos da Indonésia, sobre os diabos da Tasmânia, sobre os guepardos do Quênia, sobre os elefantes da Índia, sobre os lobos do Canadá, sobre os tigres da Rússia, sobre os guarás do Brasil... mas... deixa pra lá, eu sou triste demais mesmo...

E assim caminha a humanidade...

13 comentários:

Robson Schneider disse...

O sentimento que dá é que isso tudo é inevitavel... como se as lutas contra
a extinção de fauna e flora fossem apenas paliativas, segurando algo pelas beiradas, na ponta de um abismo... lastimável e uma sesação de borboletas no estomago...
Um abraço meio sorumbático

Vampira Dea disse...

Eu choro cada vez que vejo uma situação dessas. Eu dou o meu riso sarcástico toda vez que vejo uma campanha como a da semana passada: desliguem suas luzes tal hora. Pq? Logo depois as pessoas voltam a usar em dobro como que pra descontar a hora perdida. è só um exemplo.A humanidade avança como um enxame de gafanhotos a destruir tudo,

Ju Fuzetto disse...

Muito, muito bom!!!
Boa semana amigo!
abraço

Denise Portes disse...

Ai que dor! Sinto isso como uma pancada, não entendo como podemos esperar acabar pra recuperar.
Tenho uma filha de 14 anos que me diz sempre:
-É uma sacanagem me entregarem o planeta assim.
Eu tento fazer minha parte, mas é tão difícil ver que poucos se importam.
Um beijo
Denise

Sandra Botelho disse...

poxa...NUnca imaginei que estivesse nesse ápice.
Isso é triste muito triste mesmo.
Bjos!

Gabriela Andrade disse...

E mais notícias sobre os seres humanos, pois a humanidade que lhes é pertencente findar-se-á, se deste modo eles continuarem.
Concordo com você, é realmente algo notório e lastimável. Todavia tal sentimento permanece unicamente no papel - na maioria das vezes - e por outra via, há o encargo perdido dos países desenvolvidos, cujo único "apoio" a tal território fora tirar deles o que lhes era devido.
É, a humanidade caminha num trilho vazio. Restar-nos-á o pranto? :/

Obrigada pela visita. (:
Vi que vc é professor de Literatura e Língua Portuguesa, carreira pela qual eu quero seguir. Vc se sente pleno trabalhando com isso? Tenho certas dúvidas sobre os meus ansei...
Obrigada!

Gabriela Andrade disse...

anseios*

Juci Barros disse...

São uma gente chata mesmo (os biólogos, ambientanlistas ou sei lá), mesmo um melodramático como você afirma ser creio não inventa de abraçar árvores e essas coisas. Enfim, seus escritos são de uma ironia deliciosa rsrs. Beijo.
http://compromissocomoacaso.blogspot.com/

*Adriana disse...

Boa noite Alessandro!

Talvez vc seja trágico em demasia mas eu o vejo como uma pessoa consciente também. E o admiro, até invejo um pouco, a sua coragem em usar teu blog- espaço que criou para teus versos- para também expor verdades que incomodam e muitos de nós preferem ignorar, não ver.

abçs
Adriana

Mai disse...

Lendo teu texto fica a certeza de que alguém precisa escrever, difundir, denunciar, è revelia do que digam as massas.
A imagem é impressionante.
Lembrei de um filme onde uma bióloga que denunciava foi assassinada.

Enfim...Teu texto é importante.
abraços

Mensageiro Obscuro disse...

É decepcionante notar tanta crueldade contra a natureza, ainda existem os malditos especistas que consideram que nós humanos não somos animais e que os animais não tem sentimentos, dor, necessidades afetivas e outras características que podem até criar a individuação. É um erro pensar que o mundo será melhor sem outras formas de vida, todos dependemos de outras espécies.

Isso não só me revolta como me entristece.

Richard Mathenhauer disse...

É comum ouvir "isso é desumano". Que nada! Praticar tortura e matança de gente é demasiado humano, é próprio da criatura humana, seria então, "desumano"? - Salva-nos o fato de nem todo humano ser assim. Cá está seu texto para provar que há ainda esperança, mesmo que indefesa como um flor à beira do abismo.

Vendo a imagem desses gorilas mortos e estirados, fez-me pensar em crucificações.

Muito bom seu texto.

Anônimo disse...

Eu sou nova no globo reporter, e eu estou vendo esse sgorilas maravilhosos que lutaram pela vida eterna.
E que sentiram a mesma coisa que o meu primo;
Pobre gorila;que estava prestes a morrer já e morreu bem antes MEU DEUS!!!