13 janeiro 2010

Fernando Pessoa e Seus Passos da Cruz (III)


Continuo postando os sonetos de Passo da Cruz de Fernando Pessoa, conforme explicado na seguinte postagem: http://artedofim.blogspot.com/2009/12/fernando-pessoa-o-predestinado-passos.html. Na próxima semana, o 4º passo. Na imagem que acompanha o poema, o quadro "Vênus" de Velázquez.


Passos da Cruz - Soneto III
Adagas cujas jóias velhas galas...
Opalesci amar-me entre mãos raras,
E fluido a febres entre um lembrar de aras,
O convés sem ninguém cheio de malas...

O íntimo silêncio das opalas
Conduz orientes até jóias caras,
E o meu anseio vai nas rotas claras
De um grande sonho cheio de ócio e salas...

Passa o cortejo imperial, e ao longe
O povo só pelo cessar das lanças
Sabe que passa o seu tirano, e estruge

Sua ovação, e erguem as crianças
Mas o teclado as tuas mãos pararam
E indefinidamente repousaram...

4 comentários:

Laurinha disse...

Olá amigo,

Fernando Pessoa é mágico e me apaixono, com se fosse o primeiro encontro, todas as vezes em que me deparo com um poema do mestre. Parabéns pelo blog e pelo trabalho. Acesso, muitas vezes, ainda que eu nem sempre, poste.
Beijos no coração.

Help-Meee,Please! disse...

Muito Lindo !!!
relamente a poemas que tocam os corações das pessoas e as vezes as fazem chorar...
por isso que os admiro tanto mas principalmente os de fernando pessoa concordo plenamente com laurinha ele é magico!
^^
seu blog é muito perfeito...

Orderonime disse...

:)

Enferma disse...

Me encanta la imagen. Un gran cuadro de Velázquez.