26 dezembro 2009

“Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria.”


Com essa sentença, o nosso maior romancista, Machado de Assis, encerrou o seu genial “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. O livro foi escrito há quase 130 anos, e hoje tal frase deveria ser seguida como lei. Explico-me...

Irei direto ao ponto, não há muito que ser dito sobre este assunto. As pessoas falam em preservar o planeta com redução da poluição, com preservação da vegetação natural, com conscientização da população, com desenvolvimento sustentável, enfim, todas essas utopias que qualquer ser humano com o mínimo de inteligência sabe que são irrealizáveis. O fracasso de todas as conferências sobre clima e preservação ambiental está aí para provar o que digo. Ter esperanças de que o ser humano vai conseguir reverter a situação com tais atitudes é uma ingenuidade, ou imbecilidade mesmo.

Então, nossa civilização não tem saída? Tem. É só ninguém mais ter filhos. Pronto. Isso é um absurdo? Claro que é. E só esse absurdo pode salvar nossa atual civilização. É tão absurdo que ninguém toca nesse assunto. Já viram alguém falar que essa é nossa única solução? Não, ninguém tem coragem de afirmar tal inaceitabilidade. Eu tenho. E meu raciocínio é de uma impiedosa simplicidade.

Segundo os cálculos científicos, dentro de 40 anos, o mundo, mantendo o atual índice de crescimento populacional, com o aumento da expectativa de vida, terá cerca de 10 bilhões de habitantes. Nosso planeta não está suportando 6, vai suportar 10 bilhões de pessoas? Calcula-se que para sustentar tal população sem que ninguém passe fome, tenha-se que quase triplicar a produção de alimentos. E tirar de onde tantos alimentos, se a atual produção já é insustentável para o planeta? E de onde tirar mais água, se ela já está escasseando? E mais energia? Ou quem sabe as pessoas que nascerem não deverão se alimentar, nem tomar água, nem se vestir, nem acender uma lâmpada? Talvez nem devam respirar...

A verdade simples, lógica, matemática - e cruel - é esta: a humanidade não pode aumentar, se aumentar, o planeta morre, porque ele já nem com o que tem está aguentando. É o mesmo que dar mais sal para um hipertenso que está tendo um infarto. Qual será o resultado? Então, ninguém mais pode ter filhos. Ou, para cada criança que nascer, alguém deverá morrer. E como eu sei que isso não vai acontecer, explica-se todo o meu pessimismo... Esta civilização não tem futuro. Terá que acabar para recomeçar. Ponto final.

10 comentários:

Anônimo disse...

Artigos como este é que deveriam ser publicados em certos jornais medíocres aqui de Santiago.

Vampira Dea disse...

Eu afirmo exatamente isso e sou taxada de louca.

Leonardo disse...

Você está totalmente correto! Eu sempre falo para os meus familiares e sou visto como alguém que não quer ter responsabilidade e tal, mas eu sou o mais responsável ao meu ver! Genial você, adorei!

Anônimo disse...

Isto tudo é absolutamente verdadeiro, campanha anti natividade já!

Capitu Santiago disse...

Como você mesmo falou: e um absurdo dizer isso mas e a pura verdade! Os hospitais públicos estão a beira do colapso? O trânsito das grandes cidades e caótico? O transporte publico nao funciona? As escolas fracassam? O problema e um só : muita gente, muita gente, muita gente!!!

Anônimo disse...

Concordo!
As pessoas agem de maneira muito egoísta ao ter filhos, pensam apenas em satisfazer seus próprios instintos e não pensam no que a pobre criança enfrentará neste mundo.

J. S. Fernandes disse...

Não creio que não ter filhos, ou o controle de nascimentos resolveria nosso problema. Creio que haveriam pobres e miseráveis do mesmo modo, pois o egoísmo humano não acabaria. Mas também não creio que a humanidade mudará e se tornará mais humanista. Não ter filhos de fato é não transmitir a nenhuma criatura o legado de nossa miséria, porém somente isto.

Anônimo disse...

Pq tenho q ter filhos? É uma regra q devo seguir?- Ter filhos é bom! - me dizem. Eu penso:-Bom em q?Não vejo tal vantagem!

Volcatius disse...

Recomendo o livro "Porque te amo, NÃO nascerás!" Ele segue justamente a linha de que procriar é sempre antiético. http://hdl.handle.net/10482/15274 https://youtu.be/xXzkSTKoVZ4

Anônimo disse...

Machado de Assis, um escritor à frente de seu tempo, realmente o que acontece na humanidade é isso: a impossibilidade de gerar filhos; uma questão de bom senso, de economia dos recursos globais. belo texto