05 dezembro 2009

Crueldade Contra Animais na UFSM - Parte II

O jornal Diário de Santa Maria publica neste fim de semana a notícia sobre a morte de um gato nas dependências da UFSM com procedimentos no mínimo cruéis por dois estudantes de Zootecnia, um da graduação e outro do mestrado. Segundo o jornal, o mestrando admite que matou o gato. Abaixo, confira a versão do próprio estudante sobre o caso, conforme foi publicada pelo jornal Diário de Santa Maria em seu site:

"Ele caminhava meio desengonçado, mal mesmo fisicamente. Aí, peguei-o para ver o que tinha. Peguei uma faca e fiz a sangria, para evitar que ele ficasse sofrendo. E quando fiz isso, não fiz questão de mostrar."
Esta é a versão de um dos estudantes. O leitor acredita nela? Bem, isso a justiça vai decidir. Mas vamos admitir que ela seja verdadeira. Se for, significa que um MESTRANDO em ZOOTECNIA (percebam amigos, mestrando em Zootecnia) vê um gato, segundo ele, mal fisicamente e decide ver o que ele tem, e vendo o que ele tem (afinal, o que é que o gato tinha? era doença ou era fome?) decide que o melhor para o gato é morrer, e morrer com uma sangria, e faz a sangria com uma faca!!! Meu Deus! Ele sangra o animal para morrer! Até eu, que sou um leigo em fisiologia animal, sei que não se mata um animal dessa forma quando ele está doente, um MESTRANDO EM ZOOTECNIA faz isso? Mas o que é que ele aprendeu em todo o curso? E no mestrado? Será que na UFSM não ensinaram a ele que existem métodos menos dolorosos e menos cruéis para se tirar a vida de um animal quando necessário?. O leitor acredita que ele não tenha aprendido isso? Eu não acredito. Ou então ele teve preguiça de ir buscar uma injeção letal que mata sem dor?
Percebam, amigos leitores, que mesmo sendo verdadeira a história contada pelo estudante, ela é um completo absurdo. Um zootecnista sangra um animal para ele morrer... E sem o sedar, ao menos. Ele não sabia que isso causaria uma dor e um desespero horríveis no animal? Vamos ver o que dizem os procedimentos e técnicas de eutanásia em animais, em seu artigo 14:


Art. 14. São considerados métodos inaceitáveis:

I - Embolia Gasosa;

II - Traumatismo Craniano;

III - Incineração in vivo;

IV - Hidrato de Cloral (para pequenos animais);

V - Clorofórmio;

VI - Gás Cianídrico e Cianuretos;

VII - Descompressão;

VIII - Afogamento;

IX - EXSANGUINAÇÃO (SEM SEDAÇÃO PRÉVIA)

X - Imersão em Formol;

XI - Bloqueadores Neuromusculares (uso isolado de nicotina, sulfato de magnésio, cloreto de potássio e todos os curarizantes);

XII - Estricnina.

Atentem, leitores, para o inciso IX: é um método INACEITÁVEL de eutanásia a exsanguinação sem sedação prévia. O mestrando sedou o animal antes de o sangrar com uma faca? Parece claro que não. Ele não sabia que deveria sedar? O MESTRANDO não sabia? Se não sabia, como chegou ao mestrado? Ou sabia e teve preguiça? Se teve preguiça, foi vergonhosamente negligente. Que profissional teremos no futuro? Ou sabia, mas quis ser propositalmente cruel? Queria se divertir com o sofrimento do gato? São perguntas que faço.

Então, amigos leitores, mesmo sendo verdadeira a história desse estudante, ela ainda é absurda, ainda é desumana, ainda é cruel. Sangrar um gato sem sedar, vendo o sangue escorrer, esguichar, espalhando o sangue por todo o local, seja ele qual for, estando o animal CONSCIENTE de tudo, sofrendo em desespero, sem nem ao menos ter certeza do que tinha o pobre gato, sem nem levá-lo para fazer um exame, sem nem tentar tratá-lo, sem nem tentar alimentá-lo, e ainda dizer que o matou por PIEDADE!!! Francamente...

7 comentários:

T I N I N disse...

Nossaa...
Fiquei irada!
Fazer o que com pessoas que maltratam animais, se em nosso paíz, as leis não funcionam nem para os homens.
Revoltada ja estou a muito tempo...Quero ver mudanças!
Estarei pronta a ajudar.
Beijo
T I N I N

Camila disse...

Olá! Concordo plenamente com você! Ainda não tinha ouvido alguém falar tão bem sobre o que ocorreu vergonhosamente dentro da universidade em que me formei. Só faltou acrescentar um detalhe importantíssimo: ele é ZOOTECNISTA e não VETERINÁRIO. E só um veterinário tem o poder de decidir se um animal precisa ou não de eutanásia, qual o método mais indcado para tal procedimento e somente ele pode executar esse ato. Então, por mais que a justificativa dos estudantes seja verdadeira, o que eles fizeram foi sim absurdo, ilegal e, insisto, cruel.

andressa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andressa disse...

disse tudo, nem tem oq acrescentar...que desculpinha esfarrapada dos machões hein!

Anônimo disse...

Muito bom o teu texto, tuas colocações, parabéns. Pior é que um dos rapazes denunciou na polícia todos os que se manifestaram contra o ato dele, via orkut e exigirá uma retratação pública e, quem sabe, até danos morais. Mas continuo acreditando na justiça divina. Deus os abençoe!
Na segunda haverá manifestação as 11h em frente a reitoria, campus da UFSM.

Anônimo disse...

Isso é um absurdo! inaceitável!!!
só espero que haja justiça... e quem mora por ali e/ou estuda na UFSM não deixe isso passar em branco.
que haja justiça. a divina tenho certeza que se fará... e a humana, bom... desacredito um pouco, pq muitos são os casos de crueldade e, infelizmente, acabam em pizza.

mas cobrem algo das autoridades! COBREM! pq isso não pode ficar assim...

Anônimo disse...

Fiquei sabendo do caso hoje. Aqui em Pelotas tivemos a cadela Preta, brutalmente assassinada por estudantes universitários. Nada aconteceu com eles e hoje em dia debocham (eles e boa parte da sociedade pelotense) do ocorrido, como se torturar um pobre animal até a morte não pudesse ser objeto de indignação. Espero que aí os culpados sejam punidos exemplarmente.