24 setembro 2009

Não

nos atuais dias
de que serve
um coração?
enfeite?
de-coração?

não!
um coração
não serve pra nada:
coração não deve servir
deve ser Rei
de cetro
e Espada

5 comentários:

DarkViolet disse...

E transportar licores de vontades no seio dos desejos

Anônimo disse...

Duas coisas se destacam neste poema: a simplicidade e a eficiência. Em poucas e decisivas palavras finalizaste com uma conclusão cheia de força.

André Vieira

victor meloni disse...

Alessandro, acabo de publicar meu primeiro livro pelo Clude de Autores e gostaria imensamente de ter a honra de poder divulgá-lo no seu conceituado blog. Bom,em todo caso, agradeço desde já. O livro está em

http://clubedeautores.com.br/book/4939--ANTOLOGIA_DO_ABSURDO_

Um grande abraço!

Davi Machado disse...

Realmente
o servo se torna rei no reino das emoções!

Gilvânia C. Duarte disse...

O coração deve dominar as emoções e não se dominado. Quando dominado sofre muito.

parabéns