16 setembro 2009

à Arte


a Arte
vale a pena
que tudo mais
é menos

a Arte é o nada
que tudo pode
que o todo diz
e nunca fala
silêncio e fúria
de sol dois olhos
ao longe raio
jamais se cala
do eterno filha
do tempo mãe
de fogo asas
visão de anjos
sem deus nem guia
não ouve humanos
deusa de si
além limite
sem fim nem morte
de onde pulsa
espada ao alto
tormenta e lago
de noite e alma
verdade e Marte

com ela sou
eu sou eu só
só...
à Arte

4 comentários:

catacrese disse...

A arte vence a monotonia de todas as coisas. É combustível, comida, remédio e desconforto.

Tornei-me também sua seguidora.

Gilvânia C. Duarte disse...

Realmente a Arte tem algo de muito especial, muitos dizem que a arte imita a vida, eu particulamente acho ao contrario, 'a vida' imita a arte. talvez seja por isto que ela faz tanto parte da nossas vidas.

Anônimo disse...

Sem utilizar-se de adjetivos, tu deste as qualidades exatas da arte. Uma obra viva de ritmo e emoção.

André Vieira

Davi Machado disse...

meu caro
todas as vezes que venho aqui me deparo com singular desenvoltura, desta vez não foi diferente, resta aplaudir tão grande talento!