07 julho 2009

do Impossível

sou o que não sou
por isso irei chegar
onde jamais chegarei
e onde chegar
se chega não se podendo
e ainda que não poderei
irei ir sentindo
e sendo
que só o impossível
é que vale a pena
que não sendo pessoa
minha alma é imensa
acordando pequena
que ali onde não estive
é onde sempre cheguei
e se um dia vivi
é porque fracassei
e tudo que ninguém dirá
alcançarei em silêncio
para entregar a ti
e quando estiver certo
que em tudo falhei
eu criarei:
consegui.

4 comentários:

Anônimo disse...

Um emocionante e labiríntico trabalho com as antíteses.

André Vieira

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

eu gosto muito desse jogo de significados.

intimismo com palavras... lindo.

Blog Suicide Virgin

Davi Machado disse...

Grande criação poética!!!
tem aí a tal forma do disforme!
muito bom mesmo!!

até a próxima!

Shadow disse...

este texto é de uma disformidade confusa e profunda, que roça a perfeição do verdadeiro sentir...