05 maio 2009

Cansei-me

cansei-me de não cansar
e en fim cansei-me
e nem sei-me
tudo alcan-sei
errado:
acabei
não ficando aqui
nem do outro lado
por tudo passei
com passos de sonhos
e em tudo há passado
vi olhos nas luzes
vi luzes nos olhos
eu vi sem limites
e o meu cansaço
é ilimitado

nos pulsos ao sangue
os impulsos da vida
me pulsaram de mais
cansou-me nas veias
o correr do sentir-te
e o parar dos iguais

e ao meu sentir incansável
vais te cansares do mundo
e dormindo de tudo
amar-te...

e a Arte.

2 comentários:

cris disse...

A vida nos ensina!
Tem um selinho pra vc lá no meu blog!
bjs!

Cris.

Marcus Vinícius Manzoni disse...

Meu querido, esse poema me cantou lindas e memoráveis melodias.