07 maio 2009

7 de Maio: Johannes Brahms


Em 7 de maio de 1833 nascia em Hamburgo, Alemanha, um dos maiores gênios musicais da história: Johannes Brahms. Ouço Brahms desde os 15 anos de idade e aos poucos fui conhecendo sua obra. Hoje, que já conheço profundamente toda ela, posso dizer que conheço a alma da obra de Brahms. E tudo o que ele expressou em sua música é tudo aquilo que sinto. Na sua música, está o meu sentimento, a minha alma.


Com o tempo, Brahms tornou se um grande amigo meu, alguém em quem posso confiar em todo e qualquer momento. Se não posso ouvir sua música em determinado instante, sempre trago suas melodias em minha mente, em meu coração.


Brahms une força e melancolia, uma sublime tristeza resignada, porém, jamais curvada. A força de um ser que viveu a tragédia, que conheceu as decepções da vida, mas que jamais se curvou diante delas. Brahms é furioso e sereno. Grandioso e íntimo. Voa pelas mais terríveis alturas, sem nunca tirar os pés do chão. Seu poder é invencível. Sua tristeza é inigualável. Leva-nos dos campos ao céus. Dos lagos aos infernos. Das matas aos infinitos. Da solidão ao amor... Não é à toa que é considerado o maior herdeiro de Beethoven.


Obrigado, Brahms, por ter existido. Que fique aqui toda a minha admiração, respeito e veneração a tua obra e a tua pessoa.


Um comentário:

Marcus Vinícius Manzoni disse...

Tchê, como já ouvi uns loucos falando: "Esse aí não morre nunca!"