13 março 2009

A Perversidade Europeia


Uma quadrilha de traficantes de animais foi desarticulada pela polícia ambiental nesta semana em vários estados brasileiros, incluindo o RS. Tal quadrilha roubava das matas de nosso país mais de 500.000 animais por ano (500 mil animais por ano, meus senhores, estão conscientes desse número?). Os animais indefesos eram torturados para servirem aos interesses perversos do tráfico (sendo que mais de 80% deles morrem devido aos maus tratos) e depois vendidos para países europeus.


O pior é que todos esses monstros criminosos que massacram o que há de mais belo e puro em nosso país - seus animais - muito pouco pagarão por seus crimes, tendo em vista a tragédia que é a nossa justiça. Por mim, se aqui houvesse prisão perpétua, teriam prisão perpétua. E se aqui houvesse pena de morte, teriam pena de morte. Mas o Brasil é uma vergonha. Uma piada.


Mas ainda pior que esses traficantes imundos, são os perversos que compram nossos animais, inclusive sabendo como são tratados. E são os europeus, os norte-americanos, os que mais os compram, são os ricos. Para mim, eles também merecem prisão perpétua. No caso dessa quadrilha, seus compradores e cúmplices do crime eram europeus.


Sempre se diz que os países europeus devem servir de exemplo para todo mundo. Mas até que ponto? Como foi que a Europa enriqueceu? Será que foi somente por méritos próprios ou será que também foi pela exploração impiedosa que sempre fez recair sobre os países pobres, porém donos de incomensuráveis riquezas naturais? Todos sabem que países como Inglaterra, Espanha, Itália, Holanda, Portugal, França, Alemanha exploraram o máximo que puderam suas colônias na América, Ásia, África, e grande parte das riquezas que acumularam e permitiram seu desenvolvimento veio dos países hoje pobres.


E acabou essa exploração? Claro que não, hoje permanece através de suas multinacionais e da pilhagem de nossas riquezas naturais através do tráfico de animais e plantas, além de outras formas menos conhecidas. O custo da prosperidade de muitos dos países da Europa, e de vários outros, como os EUA, é a miséria de muitos outros povos ao redor do mundo. Ou alguém acha que o dinheiro que existe no mundo nao é suficiente para acabar com toda a pobreza que existe? É mais do que suficiente, mas se concentra nas mãos de muito poucos. E não vai deixar de ser assim.


E todos sabem, ou deveriam saber, que são esses mesmos países ricos os principais responsáveis pela poluição e degradação ambiental do planeta, pois são os que mais consomem e, assim, os que mais destróem o planeta, direta ou indiretamente.


Claro que a cultura europeia com todos os seus gênios do passado merece nossa mais profunda admiração, bem como o valor que dão a tais questões culturais e educacionais. Porém, a verdade é que nem mesmo a grande Europa salva-se da catástrofe que aniquila nosso planeta. Sua prosperidade custou e custa um alto preço para todo o mundo (incluindo-se aqui os demais países ricos de outros continentes), e a Terra não mais suportará manter seus níveis de consumo e de depredação natural por muito tempo...


(Na imagem acima, estão mais de 400 pássaros mortos pelas maus tratos causados pelo tráfico de animais, pássaros estes que seriam vendidos no mercado europeu)


4 comentários:

msilvaduarte disse...

"(...)Porém, a verdade é que nem mesmo a grande Europa salva-se da catástrofe que aniquila nosso planeta. Sua prosperidade custou e custa um alto preço para todo o mundo (incluindo-se aqui os demais países ricos de outros continentes), e a Terra não mais suportará manter seus níveis de consumo e de depredação natural por muito tempo..."

Olá Reiffer,

Teu texto é um belo exemplo do ponto a que estamos chegando, em matéria de instrumentalização da natureza.

Dês uma olhada no que vem acontecendo na África, por conta da ação de empresas européias. O limite da suposta amoralidade capitalista é a ação consciente e refletida de seus gestores, que não podem não ser responsabilizados.

Um abraço.

Walmir disse...

Mano Reiffer,
contigo estou aqui a exocomungar esse povo desavergonhado, esse bando de estrepes fidumasporcas, com perdão das porcas.
Paz e bom humor, sempre.
http://walmir.carvalho.zip.net

Jean Scharlau disse...

Sou mais que simpático {a tua posição diante desta causa, mas calma lá com a pena de morte. Onde há vida, há esperança.

Abnoba disse...

Concordo com msilvaduarte, aquele trecho descreve bem o que ocorre. O pior é que a maioria das pessoas esqueceram disso logo após o noticiário! O capitalismo sustentável não existe, as vidas também são produtos e tudo mais que dê algum lucro. A ongs que cobram mensalidades para a realização de suas ações e defendem de vez em quando se manifestam a respeito do aquecimento global precisam tomar ações mais enérgicas e se manifestar mais escancaradamente diante destes acontecimentos, já que muitas tem poder e estrutura para isso, entrar na justiça etc , não preciso nem dizer o nome das ongs. Já que o poder público é meio devagar, não que seja de responsabilidade civil. Não estou muito informada sobre o caso, mas minha opinião é diante das notícias e do texto... Mais uma catástrofe...
valeu pela visita lá no blog Alessandro!