21 março 2009

O Hipócrita*

traz açúcar nos olhos
faz veneno com a alma

colhe flores com os dedos
chuta pedra com os pés

grande amigo nos lábios
vil demônio no peito

canta amor pelas ruas
rói rancor pelos cantos

aponta com a mão a verdade
carrega no bolso a mentira

enxerga o mal que há nos outros
e quebra o espelho em sua face

enfim
o hipócrita é a luz
do fogo-fátuo
da podridão

*poema publicado no jornal Zero Hora, na coluna Almanaque Gaúcho, em 19/03/2009

2 comentários:

Micheli Pissollatto disse...

Estonteante, arrepiador.. devastador!

A. R. T. disse...

Bah, que massa!!!

Mais um na ZH!!

Esse eu não tinha visto.